sábado, 24 de novembro de 2012

O PT e o mensalão - algumas considerações

Eu não sou filiado ao PT, tampouco tenho pretensões de assim proceder, mas, como alguém que se considera de espectro ideológico de centro-esquerda, é natural que nos últimos anos eu tenha sempre votado várias vezes nesse partido. Foi assim com Lula, Dilma, a Deputada Federal Fátima Bezerra, o Deputado Estadual Fernando Mineiro e, agora por último, com o Vereador Luiz Carlos, aqui de Mossoró. 
Eu penso que o PT é o maior partido do Brasil e tem enormes serviços prestados à nossa democracia, sobretudo a começar que, dentro do partido, há debates internos e militância - coisa inexistente no PMDB, DEM, PSDB e PSB, por exemplo. Apesar de a experiência de ser governo ter empurrado o partido para a realidade de que, num regime democrático, precisa fazer alianças e concessões em determinadas posições ideológicas, o PT é, dentre os grandes partidos brasileiros, ao meu ver, aquele que apresenta alguma amarra ideológica e clareza em determinadas opiniões. Isso tudo sem falar das importantes mudanças sociais, econômicas e políticas ocorridas nos anos do governo Lula.
É por isso que eu penso que, como Instituição, o PT tem de ser preservado. Nenhuma democracia importante  pode prescindir da existência de partidos políticos amadurecidos como o PT. Aliás, nenhuma democracia pode prescindir da boa representatividade dos mais variados pensamentos e ideologias e é também por isso que eu não vejo com bons olhos, por exemplo, o esfacelamento do DEM. Precisamos da esquerda, do centro e da direita vivos, vibrantes e representados no parlamento, se não nossa democracia virará uma autocracia monopartidária. Isso não é bom e não deve ocorrer no Brasil. 
Em relação ao mensalão, indiscutivelmente, trata-se um dos maiores escândalos de corrupção já registrados em nossa história. Quem está dizendo isso é a nossa mais alta Corte, a Corte Suprema deste país, o STF. Eu não acredito que haja alguma motivação político-partidária no julgamento, se houver motivação política esta terá sido no sentido de que a Justiça e as Instituições precisam dar uma resposta à sociedade. Paciência, podemos discutir isso depois. O fato é que esse discurso de alguns petistas, segundo o qual este foi um julgamento de exceção, não tem amparo fático, nem legal. Tudo está ocorrendo como manda a Constituição e as leis. Os réus apresentaram defesa, a instrução processual durou anos, o contraditório foi garantido e o julgamento, em todas as suas fases, está sendo feito às claras, com transmissão ao vivo para todo o país. Mais limpo e constitucional do que isso, não há. O Brasil está aprendendo que fora da democracia constitucional não há salvação. Ótimo para nós todos.
O que o PT tem de fazer é virar a página. O mensalão acabou, pronto, foi julgado e os culpados condenados. O PT não foi julgado, não era réu e estava, como está, ao lado dessas questões, não no centro. 
Agem errado os petistas que adotam o discurso fácil de criticar o STF. Age o PT todo errado quando não expurga de seus quadros filiados envolvidos nesses escândalos. Não pode o partido passar para a sociedade a imagem de que compactua com os desmandos cometidos por Dirceu, Genoíno e Delúbio. Se assim proceder estará cometendo erro grave. As falhas da biografia pessoal dos envolvidos não podem integrar a história de um partido político de tamanha envergadura. 
Se outros escândalos houve e não foram julgados, no lugar de tentar justificar-se usando essa informação, o que deveria o PT e todos os demais partidos políticos, junto com a sociedade, fazerem era exigir que se faça justiça para todos. Que o STF julgue o mensalão mineiro, o mensalão do DEM e tantos quantos outros houver. Um erro jamais justifica o outro. 

2 comentários:

  1. Impecáveis palavras.. Esse é meu professor, digno de todos os elogios! Me orgulho infindavelmente da sua tamanha inteligência e do cidadão que você é, um grande exemplo não só para mim como para os outros.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto, digno de um centro-esquerdista. Infelizmente são poucas as pessoas que tem tamanho esclarecimento.

    ResponderExcluir