quinta-feira, 21 de julho de 2011

Dilma Roussef

Já se vão mais de seis meses de governo e a Presidenta, ao meu ver, já deixou bem claro qual é o seu estilo. Aliás, como observador que sempre fui dela, inclusive desde antes de ser cotada a pré-candidata, sempre percebi seu jeito assertivo de ser, para usar uma palavra que ela gosta muito.
O recente episódio da "faxina" que tem sido feita no Ministério dos Transportes é uma boa amostra disso. Como uma pessoa competente e perfeccionista, que gosta de ver as coisas andando, que impõe metas e deseja cumpri-las, Dilma tem enorme dificuldade de lidar com certos políticos. Acho que é difícil pra ela ter de entender que os ministérios têm de ser dados a partidos, sem critérios técnicos. Dilma é uma meritocrata, ou seja, ela é alguém que valoriza o mérito, não o apadrinhamento político.
Segundo alguns analistas, incluindo Cristina Lobo, de quem gosto muito, ela, a Presidenta, age como se não soubesse das possíveis consequências políticas de seus atos. Temo, realmente, ser verdade. Retaliações no Congresso costumam dificultar a vida dos governos e, às vezes, mesmo, derrubá-los. Dilma parece não se atentar a isso, por vezes.
De toda forma, entendo que o governo de uma mulher como a nossa Presidenta só pode se dar num país com a democracia madura, como a nossa. Embora os partidos discordem e chiem muito, derrubar um Presidente é fora de cogitação. Aprendemos a duras penas que só a estabilidade institucional é apta a promover o bom desenvolvimento de um país com as carências que temos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário