domingo, 22 de maio de 2011

O fenômeno Amanda Gurgel

Essa moça tem me encantado com a forma como organiza seus pensamentos e os transforma em discursos inflamados, concatenados e incisivos. Em apenas oito minutos na Assembléia Legislativa do RN ela falou tudo o que todo Professor do país tem vontade de dizer. O melhor de tudo é que foi dito diretamente aos deputados e à secretária de educação do estado. Foi tudo perfeito para se gerar grande repercussão.
Em nosso meio da educação ela tem sido assunto constante nos últimos dias, no entanto o meu foco neste post não é a pessoa de Amanda Gurgel em si, mas o fenômeno que ela representa. Oradora nata, fala com emoção e empolga a todos pela propriedade com que aborda a temática. Por isso ela é algo para estudo. Ela conseguiu trazer a sociedade brasileira para dentro do debate que nós professores já há muito fazemos.
Sempre vi as pessoas muito letárgicas e conformadas com o fato de nossas escolas públicas analfabetizarem os seus filhos. Greves e mais greves dos professores vão e vêm, mas ninguém de fora do meio jamais se importou com isso, nem o debate nacional jamais foi despertado. Os governos dos estados, por vezes mais preocupados em usar os escassos recursos públicos de forma inapropriada, fazem o que querem e ninguém diz nada. Aqui no RN a governadora anuncia orgulhosa que gastará um milhão de reais com o ABC, o América e o Alecrim, times de futebol da capital, e ninguém se toca que esse dinheiro seria melhor investido na estrutura das escolas que mais parecem prédios abandonados caindo aos pedaços. Isso é revoltante.
Por isso Amanda é um fenômeno. Ela trouxe a sociedade pro debate. Todos querem ver o seu discurso e nos procuram para saber o que achamos. A sociedade tem que saber que as coisas só mudam se ela se envolver. É preciso aproveitar esse momento para falarmos mais, para mostrarmos como as escolas públicas são ruins e o quanto isso é danoso para um país que se pretende grande, como nos pretendemos.
Não investir na educação é atitude contraproducente, um crime. É nos jogar no atraso. Vamos falar, nos revoltar e cobrar. Temos de dizer aos políticos claramente: Queremos uma educação de qualidade, não transigimos. Não nos conformamos mais em sermos um país de analfabetos, como somos.
Isso só se muda com investimento e investimentos só se fazem se cobrarmos. Façamos isso.

3 comentários:

  1. Sem comentários para Amanda, essa potiguar é incrível. Até o Faustão, que tem fama de interromper os entrevistados, respeitou sua fala. Ela consegue se expressar muito bem e conduzir a entrevista para o ponto em que quer chegar, tudo isso com uma fala simples, mansa e com sotaque nordestino, muito bom!

    A causa que ela defende também não tem comentários, afinal, a educação não era para precisar de defesa, pois é indiscutível sua importância para qualquer país.

    ResponderExcluir
  2. Já dizia João Cabral de Melo Neto: "Um galo sozinho não tece a manhã". Ele precisa de outras vozes para dar continuidade ao seu canto. Neste sentido, a professora Amanda Gurgel iniciou o seu canto, como ela mesma costuma dizer, emprestando a sua voz para seus colegas professores, cabe a categoria agora ajudá-la na luta pela melhoria na educação pública brasileira em especial do nosso estado.Fazer ecoar a necessidade de melhoria de salário justo para aqueles que formam opiniões e que são a base para modificar o futuro do país.

    ResponderExcluir
  3. É bom ressaltar também a importância dos meios de comunicação nessa luta, arrisco afirmar que se não fosse a massificação da internet esse episódio passaria despercebido pelo país! Ressalto assim, a importância que esse meio de comunicação tem diante de uma sociedade que está começando a acordar! Usar a internet para lutar e exigir melhorias sociais mostra ser uma atitude bastante inteligente!Parabéns pelo blog Raul!

    ResponderExcluir