sexta-feira, 26 de novembro de 2010

No Brasil, parece uma guerra

O tema "segurança pública" não é dos que mais me atrai, confesso. Eu sou muito mais afeto a temas relacionados à política e economia. No entanto, a grandiloquência dos fatos que estão ocorrendo no Rio de Janeiro me força a acompanhar o caso com mais atenção. É impressionante a situação a qual chegou o Rio. Os níveis de favelização e de criminalidade assustam e é vergonhoso que a situação tenha chegado a tal ponto.
Por outro lado, a ação conjunta e eficaz de diversas forças de segurança merecem o nosso aplauso, posto ser preciso uma forte repressão para combater a evidente transformação das ruas do Rio em uma nova Faixa de Gaza e em um novo Iraque. Isto é muito claro e indiscutível, mas não é o único lado da moeda.
Os países com melhores níveis de IDH, onde há oferta de bons serviços públicos têm índices de criminalidade menor, por que não geram imensas parcelas excluídas de suas sociedades, como nós infelizmente fazemos. No curto prazo imediato, é preciso o uso força, mas no médio e longo temos de aprender a sermos mais equitativos. Gerar emprego, distribuir renda e fazer o Estado presente nesses que hoje são territórios da marginalidade.
Políticas de repressão à violência, não excluem outras de natureza mais social.
É o caminho que temos de perseguir.

Um comentário:

  1. Bem... é uma tristeza Raul, afinal podemos ligar a TV e assistir Tropa de Elite 3 pelo Jornal Nacional. (ao vivo)

    É triste ver o estado do Rio em uma situação assim! :(

    ResponderExcluir