quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Retorno à Idade Média?

É com muita tristeza, até mesmo com irritação, que assisto ao retorno de velhos temas medievais, totalmente desimportantes para um país grande como o Brasil, retornarem ao centro do debate em uma eleição presidencial. A mim não importa se um Presidente é católico, protestante, satanista ou muçulmano. Tampouco se ele é contra ou a favor do aborto, do casamento gay e de temas afins. Eu quero saber de sua trajetória política, de sua visão de Estado, de seus planos para a educação de um país analfabeto como o nosso e de temas realmente relevantes. Ora, poupem-me.
Se um padre católico ou um pastor protestante querem fazer campanha contra ou a favor de um ou outro candidato, façam, mas sejam sinceros e debatam coisas válidas, úteis, não mentiras e projetos de retorno ao período mediavel.
Para concluir, quem legisla é o Congresso e só ele é capaz de descriminalizar o aborto e as drogas. Esse debate do atraso, se se achar que é válido, deve-se fazer nas discussões para a escolha de um deputado e não de um presidente.
Uma das maiores conquistas da humanidade foi a laicidade, divisão entre Igreja e Estado.

9 comentários:

  1. Mas não podemos deixar de ressaltar que boa parte desses materiais de satanização de Dilma, Lula(no passado) e o PT, são amplamente massificada pelo PIG. Textos como "Lula defende união gay, que Dilma renegará em carta" e "Dilma vai divulgar uma carta aberta ao povo de Deus", que podem ser vistos em http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/arch2010-10-01_2010-10-31.html#2010_10-13_20_48_31-10045644-0 , tem unicamente o objetivo de ironizar a candidata do PT e levar os eleitores a se posicionarem contra qualquer tipo de proposta benéfica e concreta, por simplesmente ser de Dilma ou PT.
    Um brinde ao PIG e a sua capacidade de massificar mentiras e ampliar polêmicas, implantando dúvidas nos pensamentos da população.

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez, lamentavelmente, a ignorância da nossa população serve de substrato para que debates infundados sejam o tema norteador de uma campanha presidencial(Estamos falando da campanha que elegerá o chefe máximo do Executivo nacional).

    Como diria Manoel Bandeira: "Estou farto do lirismo que para e vai averiguar no dicionário o cunho vernáculo de um vocábulo". Não suporto mais esses vetríloquos e seus discursos hipócritas.

    Infelizmente, nossos filhos sentirão o gosto amargo do ranço por nós cultivado.

    ResponderExcluir
  3. http://apodinosbastidores.blogspot.com/ a siga ai por favor... sou de Apodi, gosto muito de Politica, tbm sou contra essa 'invasão da igreja".. vou recomendar, o seu. se poder botar o meu na sua lista, de bons blogs... obg, abraço cara.

    ResponderExcluir
  4. Paulo Nogueira Barbosa26 de outubro de 2010 17:56

    Embora respeite seu ponto de vista não concordo com o mesmo. Evidentemente que quem legisla são os deputados, mas, quem sanciona a Lei é o presidente. Todos estão no mesmo barco. Quer você queira ou não, nosso país é formado por 97% de cristãos e um dos principais fundamento das crenças cristã é a vida. Acredito que após o presidente Lula ter assinado o PNDH 3 (sem saber o que estava assinando)era para o povo cristão repudiar, e desde inicio da campanha de sua candidata protestado. Ela é a favor (vídeo)da descriminalização do aborto. Quando foi para mudar de projeto de governo e entrar LULA, uma boa parte da igreja levantou a voz e andou junto com Lula FORA FHC. Porquê agora a igreja não pode proteger a vida e ser contra a candidata que é a favor do aborto? Infelizmente só achamos que quem faz bem é a quem queremos bem. No meu entender poderia ser qualquer outro candidato que tivesse condições de ganhar, mas, Dilma nunca levaria meu voto. Princípios cristãos

    ResponderExcluir
  5. isso na verdade é uma politicagem barata...poderiamos ver mais conteudo em nossos candidatos,infelizmente é o que tem pra vender e somos obrigados a comprar...

    ResponderExcluir
  6. Caro Paulo Nogueira, não entendi as palavras do colega Raul como sendo uma maneira de aviltamento da fé cristã ou qualquer outra que eventualmente foi ou venha a ser citada por ele.

    O que ele lamentou (sob minha hermenêutica), e que eu também lamento, é que, em pleno século XXI, o tema moral religiosa venha a ser o carro chefe de um debate eleitoral.

    Para sua informação, o Estado Nazista alemão foi um Estado Cristão, o cristianismo foi imprescindível para Hitler; ninguém cometeu mais atrocidades contra a humanidade do que o povo europeu durante a Idade média, época do apogeu da ideologia cristã; o Islamismo e suas mais radicais seitas só fazem com que o Oriente mais se assemelhe ao inferno! Só para citar um insigne exemplo do mal que sofre um Estado por não ser laico.

    Também quero esclarecer dizendo que não sou contra religião alguma, mas sempre vou lamentar e me manifestar contra quando houver o menor resquício de que ela possa ser usada como instrumento ideológico.

    Concorda comigo, ou acha que vai eleger um santo?

    ResponderExcluir
  7. Adendo a discussão.

    'Porque ele não mete o bedelho dele na Itália, que o aborto é legalizado desde priscas eras? . .

    Longe da discussão ser favorável ou contra, doravante, Fica na tua, Chico BENTO!

    ResponderExcluir
  8. Interessante. Existe Leia pra defender tudo no mundo, as baleias, a Amazônia, a Mata Atlântica, o mico-leão-dourado... tudo , tudo mesmo!
    Mas não querem mais defender a lei que defende a vida! E o que diz a constituição quanto a isso meus caros? Diz que todo ser humano tem direito a?


    ... Não seria a vida?

    ResponderExcluir
  9. No meu post eu não discuti o mérito da questão, ou seja, não me posicionei contra ou a favor. Apenas disse que esse tema não é para estar presente numa eleição presidencial, pelos motivos apontados por mim no texto.

    ResponderExcluir