quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Minha leitura, em poucas linhas, sobre o debate presidencial on line.

A campanha, de fato, começou. O primeiro debate da band pareceu mais uma reunião de compadres, mas este último do uol foi, às claras, o melhor e mais intenso. Os candidatos estavam mais dispostos a procurar o voto do eleitor e se expuseram. José Serra, bem mais experiente e pressionado pelos últimos resultados das pesquisas, foi ao ataque. Demonstrou-se um pouco agressivo às vezes, mas no todo mostrou-se mais enfático e habilidoso com as palavras do quê pugilista. Marina Silva abusou de seu belíssimo vocabulário e, ao fechar o debate, fez a melhor das considerações finais. Ela tem, em regime de urgência, que se apresentar claramente como uma terceira via, uma opção ao plebiscito que aí está e, ao meu ver, embora não tenha plenamente conseguido, ensaiou largas melhoras.
Dilma é neófita na política partidária e em debates. Em uma série de questionamentos propostos por Serra, havia respostas muito melhores e incisivas do que as que ela deu, no entanto, mostrou-se segura e menos nervosa do que no primeiro. Acredito que ela dará passos importantes em seu aprimoramento.
O quadro atual, grosso modo é o seguindo:
- Serra vai virar franco atirador e tentará comparar as biografias dele e de Dilma. Fugirá sempre da comparação entre os governos Lula e FHC;
- Marina tem que procurar ser uma terceira via e esclarecer como pretende governar sem alianças;
- Dilma se apoiará em Lula e reforçará sua imagem de gerente dos programas mais bem sucedidos do governo.

Aguardemos o resultado e decidamos como melhor convir nossas consciências.

Um comentário:

  1. Eduardo Sidney. Acadêmico de Direito - UERN.23 de agosto de 2010 10:09

    Interessante! O presidente Luta foi quem se notabilizou pelo excessivo uso de metáforas futebolísticas, mas é José Serra quem vive da máxima boleira: "A melhor defesa é o ataque". Essa será a tônica dos futuros encontros, não preciso ser Walter Mercado para estar certo disso. Se ele for tão agressivo e pernóstico enquanto presidente, finalmente teremos nosso Francisco Franco.

    ResponderExcluir