terça-feira, 20 de abril de 2010

O necessário envolvimento político

Resolvi escrever esse post não só por que eu gosto muito de política, mas por que não canso de me espantar como as pessoas repelem esse tema. Outro dia entrei na sala dos professores de um dos lugares onde já trabalhei ou trabalho e ouvi os meus colegas dizerem que cidadãos de bem não se envolvem com a política, que todos os políticos são corruptos, que votam nulo e que não estão nem aí para quem será o próximo ou a próxima presidente do Brasil. Fiquei profundamente estarrecido com o que ouvi, sobretudo por que se tratava ali de pessoas com boa formação acadêmica e, mais do que isso, com grande capacidade de influência, posto serem professores.
Acontece que eu sou daqueles que acha que ninguém, isso mesmo, ninguém, pode se furtar de participar do processo político, por razões muito óbvias: todos pagamos impostos e utilizamos os serviços públicos, ineficientes ou não e quer queiramos ou não. Desta forma, excluir-se de fazer uma análise sobre os candidatos e de pensar um pouco sobre os problemas do país é contribuir para a manutenção das coisas extamente como estão, dito em outras palavras, é contribuir para a manutenção do atraso. É mesmo cultuar a pobreza.
Cada um de nós é um pouco responsável pela nossa cidade, estado e país. Nem todos os políticos são corruptos e, ainda que não haja biografias com quem se identifique na hora de votar, haverá sempre uma melhor opção. Sei que este blog é muito lido por jovens, muitos deles meus alunos e ex-alunos, outros apenas seguidores. Digo-lhes em poucas palavras: Vocês são a esperança de este país um dia dar certo e é por causa de vocês que eu acredito no Brasil. Acompanhe mais de perto os enlaces dessa campanha, jamais se furtem de sua responsabilidade. Tentem ver quem apóia o seu candidato, observe que propostas são reais e quais são apenas ficção para ganhar campanha. Não se deixem enganar, envolvam-se mais.
Numa sociedade democrática a revolução pode vir pelo voto e pela maior participação nas coisas do país. É, assim, através de nossas palavras que podemos convencer mais gente a participar do processo político. Se nos furtarmos disso, estaremos dando a nossa contribuição para o aumento da criminalidade e para a manutenção da precariedade dos serviços públicos, como saúde e, principalmente, educação, uma vez que é exatamente a falta de políticas públicas eficientes que gera esse tipo de problema.

Um comentário:

  1. Concordo plenamente com o senhor. Tenho notado que se excluir do processo político é algo muito enraizado na cultura brasileira, isso talvez se deve a grande falta de nacionalismo ou algo do tipo. Acho que uma pessoa, dentro de um sistema democrático, tem total responsabilidade sobre o país onde mora.
    Porém, outra coisa que tenho notado é que as pessoas com influencia política e que participam do cenário político gostam e fazem a manutenção desse estado apolítico da população. Então, encaro tudo como uma corrente: enquanto a cultura brasileira sempre fora não se importa com o seu país, seja pela falta de nacionalismo ou de formação acadêmica para isso, as pessoas que tem consciência e que participam da política querem manter essa "ignorância" para se eterniza em cargos públicos.
    Eu, como cidadão brasileiro e amante do estudo político, percebo tudo isso e acho que é importantíssimo o papel que blogs como o seu fazem no processo de conscientização e informação.


    P.S. Palavras remetidas e erros de português são apenas ilusões óticas de sua parte. qn

    ResponderExcluir