terça-feira, 17 de novembro de 2009

EUA reiteram que não tem "intenções de agressão" na América Latina

Agência EFE
.
Washington, 17 nov (EFE)- Os Estados Unidos reiteraram hoje que não têm "intenções de agressão" na América Latina, diante das reiteradas acusações da Venezuela de que as tensões na região têm origem no acordo militar assinado entre Washington e Colômbia.
O porta-voz do Departamento de Estado americano, Ian Kelly, rejeitou hoje de novo este argumento e voltou a pedir que Venezuela e Colômbia a resolvam suas diferenças através do diálogo bilateral.O embaixador dos EUA na Colômbia, William Brownfield, afirmou na segunda-feira que Washington está disposto a mediar para que Colômbia e Venezuela, através do diálogo, superem sua crise diplomática e comercial, que se agravou nos últimos dias.
O porta-voz reiterou hoje sua chamada para que Colômbia e Venezuela resolvam suas diferenças."Somos a favor da cooperação nesta região e estamos preparados para ajudar, se pudermos ter um papel de apoio ou de mediação", acrescentou Kelly.
Sobre as acusações do presidente venezuelano, Hugo Chávez, de que a origem das tensões na região está na política dos EUA para a América Latina e, precisamente, no acordo militar assinado com a Colômbia, visto por Caracas como uma ameaça, o porta-voz disse que Washington "não está de acordo"."Respaldamos uma maior cooperação, um maior diálogo. Não temos nenhuma intenção de agressão na América do Sul. E fazemos uma chamada ao diálogo", insistiu Kelly.Mas o porta-voz não considerou necessário que os Estados Unidos proponham um encontro entre Colômbia e Venezuela."Não tenho certeza de que isso seja necessário. O que é necessário é que a Colômbia e a Venezuela se sentem e resolvam seus problemas por conta própria", disse, acrescentando que os dois países não pediram a ajuda americana."No entanto, se pudermos ser de ajuda, certamente estamos dispostos a ajudar", concluiu Kelly.
.
Minha análise
Os EUA não são nenhum santo, longe disso. Todo esse discurso de não intervenção acontece pelos motivos já explicados por mim aqui neste espaço em outras oportunidades. A América Latina é o continente que abriga México, Brasil, Argentina e Chile. Países economicamente importantes. Estes são emergentes, integrantes do G-20. Nenhuma grande potência da atualidade tem o interesse de se contrapor belicamente a um emergente. Nenhuma. Motivos: globalização, interdependência.
E só para não perder o costume, Chávez é um analfabeto geopolítico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário