domingo, 20 de setembro de 2009

Presidente da Rússia diz ter garantias de que Israel não atacará o Irã

da Reuters, em Moscou
da Folha Online
.
Israel garantiu à Rússia que não lançará um ataque contra o Irã, disse o presidente russo, Dmitry Medvedev, em entrevista à rede americana de TV CNN transmitida neste domingo (20). Ele descreveu tal ataque como "a pior coisa que se pode imaginar". Medvedev sustentou que o presidente israelense, Shimon Peres, fez o comentário em agosto durante uma reunião na localidade russa de Sochi. "Quando me visitou em Sochi, o presidente israelense Peres disse algo importante para todos nós: 'Israel não planeja lançar nenhum ataque contra o Irã. Somos um país pacífico e não faremos isso'", disse Medvedev.
As chances de um acordo com os EUA sobre um novo pacto para reduzir os fins estratégicos de armamento até o fim deste ano continuam sendo "bastante altas", afirmou Medvedev na entrevista gravada na terça-feira, segundo uma transcrição do Kremlin.
Na última segunda-feira (14), o premiê de Israel, Binyamin Netanyahu, afirmou que chegou o momento de endurecer as sanções contra o Irã, após o grupo de seis potências --Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha-- terem definido para 1º de outubro a data da primeira reunião com representantes do governo iraniano sobre o programa nuclear do país. "Eu acredito que agora é o momento de iniciar sanções mais duras contra o Irã. Se não agora, quando? Estas sanções podem ser efetivas", afirmou Netanyahu à comissão parlamentar das Relações Exteriores e de Defesa de Israel.
O Ocidente afirma que o programa nuclear do Irã tem como objetivo a produção de armas nucleares, acusação que Teerã nega. Especialistas afirmam que há grandes chances de Israel lançar um ataque contra as plantas nucleares do Irã em ação para se defender de uma ameaça de ataque nuclear.
"Eu acredito que a comunidade internacional pode agir efetivamente", disse Netanyahu, citado por um assessor. "O regime iraniano é fraco, o povo iraniano não vai apoiar o regime se eles souberem que há um risco ao seu regime e esta seria uma nova situação", disse.
.
Minha opinião
O Oriente Médio é um daqueles lugares dos quais pode se esperar de tudo. Dali tudo é possível, sobretudo com focos de tensão tão fortes quando Israel e Irã vivendo ali, lado a lado. Recentemente li que os EUA e Israel irão fazer uns testes com novos mísseis de longo alcance. Ninguém duvida de que isso é uma mensagem clara ao Irã, aliás, claríssima. Por outro lado, Medvedev não está fazendo piada ao dizer que Israel é um país pacífico - ironia pura. Está, sim, dizendo que é assim que Israel deve se comportar, ou seja, está dizendo: Não toque no Irã. O jogo geopolítico ali é crítico demais. Você tem de um lado os EUA, Israel e as tradicionais potências ocidentais e do outro o Irã, a Rússia e, por vezes, a China, querendo dar uma de gente grande, com os olhos gordos em cima do petróleo da região.

2 comentários:

  1. Se ser pacífico é atentar contra a vida de milhares de mulçumanos na Faixa de Gaza e Cisjordânia, realmente Israel é muito pacífico!
    Raul, enquanto o fato de que Israel e EUA testarem mísseis de longo alcance, isso não seria contaditório? a final, os EUA é contra os testes da Coréia do Norte e contra o armamento nuclear do Irã, isso num dá brechas para que o Irã e a Coréia do Norte continue com as pesquisas nucleares? E outra, é contra a política de pacificidade de Barack Obama.

    desde já agradeço!

    ResponderExcluir
  2. Raul,que descaso é esse com seu blogo!

    Atualize!

    ResponderExcluir