segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Brasil pós-crise

Ontem, assistindo ao programa canal livre, da band, tive a oportunidade de observar um debate de alto nível sobre a economia do Brasil e o aniversário de um ano da crise mundial. Na oportunidade, também foi ao ar uma entrevista com o Pres. Lula para a BBC, que será exibida na Inglaterra. É incrivel como nós nos saímos bem. É consenso entre os analistas que, se esta crise tivesse se passado há dez anos, o Brasil teria ido para o espaço. No entanto, hoje, já se fala em crescimento acumulado de 2% para a economia este ano. Neste trimestre nós já saímos da recessão e, conforme notícia publicada logo abaixo, estamos voando a quase 2%. Isso é incrível se você observar que economias maiores terão recessão. Mais incrível, ainda, se nos lembrarmos que houve quem dissesse que nós fecharíamos 2009 em recessão de 1%. Para 2010 os prognósticos são os melhores possíveis: crescimento de 5%. Para 2011, há quem fale em 6% e, se não houver nenhum outro cataclisma mundial, vamos conhecer anos a fio de forte e sustentado crescimento econômico. Quem sabe não alcancemos 7%, seria ótimo. Mais emprego, mais renda, menos pobreza. É preciso, antes, resolvermos os gargalos que nos impedem de crescer. A carga tributária é muito alta, os juros praticados sufocam o investimento e o consumo, a infra-estrutura deficitária desanima qualquer investidor. É preciso buscarmos marcos regulatórios claros e concisos, para isso, o Senado tem que deixar de nos envergonhar e começar a trabalhar.
Em meio a tudo isso, temos que trazer para a agenda debates sobre os velhos temas de saúde, educação e segurança pública. A população tem que sentir no cotidiano a melhora dos indicadores econômicos do país, caso contrário, não fará sentido algum.

2 comentários:

  1. Mas,vale ressaltar Raul que todo esse crescimento do Brasil não é sinônimo de desenvolvimento equitativo na educação e na saude,onde mais temos que crescer...
    E com relação a crise,tudo bem,já estou cansado de ouvi que o Brasil foi o último a entrar e o primeiro a sair,mas analise os dados exterior e ,principalmente, dos paises da iguaria do Brasil,como China e India que nem entraram na crise! Duvide de tudo com relação ao Brasil! O nacionalismo exagerado pode fazer com que fechemos os olhos para determinados pontos criticos que o pais enfrenta!

    ResponderExcluir
  2. Eu concordo com vc em muito do quê vc disse, principalmente sobre o nacionalismo exagerado. Tudo o que se faz fora de medida é prejudicial e o nacionalismo extremado já mostrou ao mundo que é capaz de provocar verdadeiras tragédias. Por outro lado, a falta de sentimento patriótico, de amor ao país, também gera tragédias. Quem não gosta, não cuida e que não cuida se destrói. Eu jamais duvidarei de tudo em relação ao Brasil, jamais. O nosso país é mais do quê viável, embora apresente muitos problemas. Ademais, se vc deu uma lida pelos tópicos aqui do blog, não viu nacionalismo cego não, pelo contrário.
    Sobre China e Índia, por favor, não nos comparemos com quem é pior do que nós.

    ResponderExcluir