quarta-feira, 19 de agosto de 2009

O que penso sobre os recentes cortes anunciados pela prefeitura de Mossoró

É fato conhecido de todos que a prefeitura de nossa cidade operou alguns cortes no seu orçamento desse ano, alegando contenção de gastos em virtude da crise financeira atual. Muito se falou sobre isso na imprensa local, no entanto, o debate foi todo ele viciado por interesses politiqueiros. Os que estão do lado do palácio não apresentam argumentos realmente convincentes e os que estão na oposição criticam por criticar.
É por óbvio que a crise trouxe consequências nefastas para toda a economia. Nossa cidade, como todas as outras, sofreu com a diminuição do repasse do FPM. Além disso, a Petrobras tem operado uma diminuição dos investimentos previstos em nossa região por que atualmente prefere massificar as suas ações na área do pré-sal, fato este que trouxe a diminuição dos royalties. É claro que, havendo diminuição da receita, a administração pública precisa adequar o seu orçamento e, isto posto, cortes serão necessários.
O que faltou, ao meu juízo, foi um debate com a sociedade civil organizada, por meio dos órgãos de imprensa, para se saber que setores deveriam sofrer e que outros deveriam ser poupados. Os cortes no Auto da Liberdade e na Festa de Sta Luzia eu achei bastante razoáveis, embora não desejáveis, claro. No entanto, os cortes na remuneração dos servidores públicos municipais, sobretudo os da saúde, foi lamentável. Hoje não há serviço de saúde em nosso município por culpa desse tipo de política implementado pela prefeitura. Julga-se que a economia seja de cerca de 300 mil reais mensais, o que dá algo em vorta de 3,6 milhões anuais, mais ou menos 1% do orçamento de Mossoró. Não acho que seja uma ação eficiente no sentido de conter gastos. O que sei é tal ação trouxe inúmeros prejuízos a todos. Como eu acredito que os que fazem a administração não querem a manutenção desta situação, acredito que esse quadro se reverterá, até por que ele é insustentável.

Um comentário:

  1. Concordo plenamente com os seus argumentos,principalmente quando diz respeito ao corte dos servidores na área da saúde,pois o nosso sistema de saúde pública é ineficiente e precissa de investimentos cada vez mais elevado para torná-lo ao menos razoável.A prefeitura está -ao meu ver- indo pelo caminho contrário,pois inevstimentos em saúde e educação não deveriam ser poupoados ou cortados e sim aumentar progressivamente para um dia sonhar com um país melhor!

    ResponderExcluir