domingo, 24 de maio de 2009

Sozinha, Petrobras investe mais que a União em 2009

Só no 1º bimestre, estatal investiu R$ 8,1 bi, contra R$ 6,8 bi do Tesouro até maio; Grupo prevê gastos de mais de R$ 66 bi até final do ano; valor supera a previsão de investimentos da União para o período em R$ 16,8 bi
Folha de São Paulo
.
No centro de uma batalha política entre governo e oposição desde que foi criada uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigá-la, a Petrobras e suas subsidiárias investiram, apenas nos dois primeiros meses do ano, quase três vezes o volume de gastos do Tesouro no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) entre janeiro e o início de maio.Foram R$ 8,1 bilhões aplicados pela estatal contra R$ 2,9 bilhões investidos pela União no carro-chefe do governo Lula num período duas vezes maior.Os números, registrados no balanço da Petrobras -lançado na página do Ministério do Planejamento a cada dois meses- e no Siafi (sistema de controle de gastos da União), dão uma dimensão dos interesses em jogo na CPI da Petrobras.A Petrobras é a maior estatal brasileira. Com suas 21 subsidiárias, responde por 92% dos investimentos de todas as estatais brasileiras. No primeiro bimestre de 2009, sua subsidiária na Holanda foi a segunda no ranking dos investimentos da holding, à frente da Petrobras Internacional, que dispõe de orçamento maior.O grupo inteiro prevê gastos de mais de R$ 66 bilhões até o final do ano. O número é 30% maior do que os investimentos feitos pela estatal em 2008.O total de gastos que a holding Petrobras pretende investir supera em R$ 16,8 bilhões os investimentos da União autorizados por lei para 2009. Parte desse orçamento de investimentos da estatal depende ainda de captações de recursos no mercado internacional, fato apontado por autoridades brasileiras preocupadas com as repercussões políticas de uma investigação no Congresso.Segundo pesquisa feita pela ONG Contas Abertas, os investimentos da Petrobras apenas no primeiro bimestre superam em 16% os investimentos de toda a administração direta e dos Poderes Legislativo e Judiciário juntos em mais de quatro meses em 2009.Até 7 de maio, o Siafi registrou R$ 6,8 bilhões de investimentos da União, já considerados os pagamentos de contas pendentes de anos anteriores.Dentro da estratégia de jogar a oposição contra a maior estatal do país, o presidente Lula acusou o PSDB, autor do requerimento para investigar a empresa, de agir de modo "irresponsável" e "pouco patriota". Alertou que os investimentos da estatal podem ser ameaçados num cenário de crise econômica internacional.Diferentemente dos órgãos da administração direta, cujos gastos estão na internet, a Petrobras só publica dados genéricos em balanços bimestrais.A transparência das contas da estatal é justamente um dos pontos do projeto de lei apresentado pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), anteontem. O projeto cobra a divulgação na internet de dados de todas as empresas públicas e de economia mista que exercem atividade econômica.O próprio governo Lula faz nos bastidores a mesma crítica que a oposição dispara em público contra a estatal: ela é uma caixa-preta e segura informações consideradas confidenciais e estratégicas.No Planalto, as queixas se voltam contra o acesso a dados sobre pesquisas e alguns negócios da empresa. Para a oposição, a reclamação é mais ampla, por não conseguir saber nem para quem são destinadas verbas de patrocínios culturais.O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) foi o autor do requerimento que reuniu 32 assinaturas, 7 delas de congressistas de partidos da base, para investigar a Petrobras e a Agência Nacional de Petróleo. O PSDB viu na mudança contábil que permitiu a estatal pagar menos impostos a oportunidade para pedir a criação da CPI.Mas o requerimento para investigar a empresa é mais amplo, pede tanto para se apurar "indícios de fraudes" em licitações até "denúncias de irregularidades" no uso de verbas de patrocínio da estatal.Uma guerra nos bastidores entre PMDB e PT tem dificultado a ação do governo para tentar controlar a CPI da Petrobras. Na próxima terça-feira, Renan Calheiros, líder do PMDB no Senado, pretende fazer discurso da tribuna para rebater acusações de que o partido estaria exigindo cargos na Petrobras para abafar a CPI.Na avaliação peemedebista, o PT tem estimulado rumores de que o PMDB pretende colocar o presidente Lula contra a parede na próxima semana. Lula deverá se reunir com senadores do partido amanhã ou terça.

Um comentário:

  1. Igualmente outro texto exclusivo que aqui compartilho com vocês.
    Esse texto é bem interessante. Primeiro por que é impressionante o tamanho da petrobras, a sua expressão nos cenários nacional e internacional e o seu peso econômico. Segundo, por que conhecendo a estrutura de poder do Brasil como conhecemos, é de se preocupar o fato de a petrobras não prestar conta de suas operações. Será que tem gente levando vantagem nisso? Em outras palavras, há gente mal caráter que tá desviando recursos daquela que é a nossa maior empresa e, seguramente, um dos principais motivos de orgulho de nós brasileiros? Se sim, é, de fato, preciso investigar.
    Por último, é preocupante a suspeita de essa CPI ser só um show de mídia visando as eleições do próximo. Na verdade, é provável que os senadores não estejam nem aí pra petrobras, mas, de fato, estejam somente querendo caso para chamar atenção da mídia e da opinião pública e, assim, por em risco a atividade empresarial da estatal. No Brasil tudo é possível.

    ResponderExcluir