quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Um sonho "hispânico-Portuga"

Por Arnaldo Jabor
.
Em casa sem pão, todos brigam e ninguém tem razão. O MERCOSUL só serviu para manter uma utopia de união, um sonho "hispânico-portuga". Até agora, só vimos brigas e disputas e só levamos ferro. O que ganhamos com a Argentina, por exemplo, além de disputas sobre taxas de importação? Os governantes usam o MERCOSUL para ter liderança. Poder é o que busca o sabotador Chávez e o nosso Lula, que quer ser o grande irmão do país maior e mais rico. Aí mora o perigo. Nós somos um problema para os hispânicos desde o tratado de Madrid em 1750, que nos beneficiou. Eles têm inveja de nós e nos provocam para esconder a sua incompetência interna. Nessa reunião, o Rafael Corrêa, com seus olhinhos verdes de ditador narcisista, repetiu, ali na cara do lula, o seu propósito de dar calote no BNDES e, mesmo assim, ainda fala em criar uma moeda única para a América Latina! Pesos brasileiros, bolívares ou patacas do Equador? O Paraguai defende a dupla taxação por que é um país sacoleiro e lucra com o contrabando. O Chávez foi ali fazer propaganda contra o bush, um cachorro morto levando sapatada. O MERCOSUL impede que negociemos separadamente e não nos deixa negociar dentro. Daí termos de acabar com esta ilusão. O MERCOSUL nem transa nem sai de cima.
.
Minha opinião
Eu vi esse comentário ontem no Jornal da Globo e me impressionei com o tom dele. Resolvi publicá-lo aqui no blog não, necessariamente, por que eu concorde com o que o Arnaldo Jabor falou, na verdade discordo de boa parte, mas pq eu o achei ousado. Ele pegou pesado e fez severas críticas ao Mercosul. Falou mesmo o que achava do Paraguai, do Chávez, do Bush e do Correa. Gosto de opiniões fortes assim, embora, repito, não concorde com quase nada e ache que o Mercosul é viável sim e que nós temos muito a ganhar com a integração regional da América do Sul. Rusgas diplomáticas existem e vão continuar havendo durante muito tempo, até mesmo na União Européia.

2 comentários:

  1. Bom dia;

    Raul, como já era de se esperar desse ex-cineasta extremamente articulado, seu comentário foi estrondante. Como você disse, foi bem pesado. Acontece que ele revela nada mais que a concepção política direitista e tradicional do seu autor, pois prefere uma não integração da América Latina e visa o esfacelamento da já pequena articulação latino-americana. Também não concordo com as idéias de Jabor, mas confesso que devemos dar-lhe os louros de César pela maestria da sua palavra. Cineastas são intrigantes.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. "O MERCOSUL nem transa nem sai de cima."

    Gente culta é outra coisa!!!!!

    ResponderExcluir